Minha vida não foi só poesia, parte final

[parte 8Mas sempre todo o meu amor, amizade, paz, gratidão, carinho e respeito aos verdadeiros...
e à Deus por ter colocado desafios em meu caminho, para que, enfrentando-os me tornasse uma pessoa mentalmente mais forte  e melhor....

não se trata de  passar a mensagem de quanto mais adversidade melhor,  mas, o  contexto de que , por vezes, somos confrontados com grandes obstáculos  e temos que  se esforçar para  superá-los, de fazê-los de fato em oportunidades; se tornando mais forte e  um pouco melhor 'hoje' do que fomos 'ontem', pois são nestes momentos mais árduos, nas  situações difíceis , que aprendemos mais sobre nós....


 durante os anos em que estive convalescendo, entre uma radioterapia , quimioterapia e queda de cabelo, entre as lágrimas tristes e as lágrimas de felicidade, no contato com outros pacientes, entre um beijo e um abraço, no percurso entre os hospitais e casa, na sala de espera, tive como aliados , um bloco de rascunho e uma caneta, pois já sentia necessidade de exprimir os meus sentimentos em palavras.
Fui com os números, seguiria com as letras.

Escrevia sem saber no que iria se transformar, de forma natural; feliz por descobrir que há muita poesia presente na vida cotidiana, nas alegrias, nas tristezas, na dor, na baixa - estima, na pessoa ao lado, na desilusão, no amor, nos sonhos, na fé , na esperança, na vida.

Felizmente me recuperei, por Deus , firmei um acordo trabalhista com o Banco e saí, concluí um Curso de Tecnologia da Informação , abri meu escritório de Contabilidade e , finalmente, com o bloco de rascunho  todo preenchido ao lado, criei o blog...

A minha vida foi relatada aqui.
Uma vida real sem poesia .
Nua , dura e com muita luta.

Minha vida não foi só poesia.
A vida me ensinou à ter olhos para ver poesia.

[ Vida que seguiu... Vida que segue... ]


Minha profunda e indelével gratidão aos gentis, respeitosos, afetuosos/as,  surpreendentes, amigos/as, colegas , leitores/as - em especial aos leitores/as 100 por cento= 8 partes+final  de [Minha vida não foi só poesia] - pelo carinho da visita,  pela leitura atenta, pelos comentários pertinentes , sinceros, inteligentes e sensíveis . 
E por compreenderem e respeitarem o fato deste  blogueiro Não estar    +  reciprocando e/ou interagindo  [aqui].   
[Se ao contrário, sinto muito, é o que há!]
°
Para quem aprecia: Feliz Carnaval; para quem não aprecia: Feliz Feriado; etc e tal : Belos dias!

°
Obrigado,

Comentários

  1. Você sempre foi um bom guerreiro e sempre travou as boa lutas querido Felisberto ...

    Bom carnaval para você também ...

    ResponderExcluir
  2. Oi Felis, quanta coragem e empenho em relatar sua vida tão bonita querido!!

    Detalhes pequenos e intensos de você, que nos emocionam e nos fazem crescer!
    Sempre tendo a gratidão como sua melhor conselheira a despeito de tantos entraves e dificuldades a que foi submetido...
    Um lindo projeto, uma linda história de vida para inspirar tantos que precisam de uma palavra de apoio e assim, seguir em frente!!
    É um verdadeiro herói urbano amigo!! Afinal a vida não foi só poesia, mas ela te deixou forte como uma rocha e sensível como a brisa mais amena...

    Parabéns e te desejo, com antecipação também um excelente carnaval!!
    Será ótimo para reabastecer a vida com energia positiva!!
    Beijos e feliz semana!!!!

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Felisberto.
    Foi muito bom ler a sua historia de vida. Chegou ate aqui depois de muita luta meu amigo. E a sua vida é um belo exemplo para muitos. Diante das dificuldades agiu com coragem e garra. Passou pelo calvario e nem assim se entregou. Pelo contrario mostrou ser forte e determinado.Que bom que realizou muitos sonhos e ainda está firme e forte vivendo e amando a vida. Lhe desejos muitos dias de paz e alegrias e um belo carnaval. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  4. caro Felisberto, perdi alguns capítulos da sua vida. Mas acho que perdi alguns da minha também... mas quando eu leio biografias ou assisto a filmes baseados em fatos reais, redescubro que, no fundo, todo mundo só quer uma coisa: amar e ser amado. Deixar alguma lembrança quando for embora, talvez - nem é este o meu caso.
    Tua história, minha história e muitas outras histórias que se entrelaçam, se encontram e se desencontram, seguindo e seguindo até que..

    ResponderExcluir
  5. como diz o ditado, deus te dar o frio, conforme o cobertor.
    e o que não mata, fortifica.
    te desejo amor, saúde e serenidade, neste novo ano

    blog de decoração

    ResponderExcluir
  6. Olhe, depois de tudo o que passou, é um final feliz. A vida vai andando, não é?
    Grata pela partilha da sua história.
    Um abraço.
    Belos dias!

    ResponderExcluir
  7. Olá Kirido,

    Estamos num mundo de provas e expiações. Tudo que nos chega tem um sentido e é nas adversidades que mostramos a Deus que estamos aprendendo as lições de casa. Delas (adversidades) saímos mais fortes, mais maduros e mais espiritualizados. Claro que ninguém quer aprender tendo a dor como instrumento para tal, mas há coisas que fogem à compreensão humana. Você lutou, fez suas escolhas e venceu. E, de brinde, ainda abriu os olhos para a poesia da vida e desenvolveu a sensibilidade para transformá-la em versos, coisa não muito comum em quem é mais ligado às ciências exatas.
    Um belo relato e retrato de vida. Parabéns!

    Aproveite o feriadão carnavalesco.

    Ótimos e felizes dias!

    Beijo.


    ResponderExcluir
  8. Felis, meu querido: devido a uma prolongada ausência, somente agora tive oportunidade de ler a tua história de vida. Percorri todas as partes, sempre atenta à tua narração.
    Confesso, meu amigo, que lágrimas me vieram aos olhos naquelas passagens onde a tua dor se mostrava mais premente, onde as situações exigiam da tua alma a força necessária para prosseguir.
    Tu foste um guerreiro, destes que a gente admira tanto que até dá vontade de estar presente para dar um forte abraço.
    Tua narrativa me prendeu pelo conteúdo, pela tua sincera exposição que não teve o intuito de dar lições, mas de atuar como um desabafo. Mas de alguma forma, o teu relato nos mostrando a tua experiência de vida, veio de alguma forma nos dizer que depende apenas de nós, do nosso empenho em não nos deixarmos abater perante as adversidade, pois mesmo que elas sejam, a princípio, incontornáveis, existe sempre um caminho que podemos escolher.
    Se já tinha por ti um carinho imenso, uma amizade sincera, agora, meu querido, a eles se juntaram uma enorme admiração (ainda mais) pela maneira como tu frequentas a vida.
    Escreves bem, tão bem que aqueles momentos em que ficavas a admirar a Márcia, tua professora de português, ao invés de prestar atenção às aulas, pode acreditar, não te fizeram falta (risos).
    Meu Carnaval será de descanso, de paz. Que estes dias te cheguem envoltos em sorrisos, estrelas, e a vontade de continuar a escrever... Pois o mundo da blogosfera precisa de pessoas que se expressam através do coração.
    Meu carinho,
    Leninha

    ResponderExcluir
  9. Oi, Felis, eu me emocionei lendo o final da sua história, que claro, aqui foi contada sucintamente. Gostei também de conhecer a origem dos escritos, nasceram na adversidade... é curioso como esses momentos trazem inspiração, não é mesmo? Não por acaso os poemas mais bonitos surgem na dor. O meu blog também surgiu assim, mas hoje prefiro a visão positiva da vida, é a que reflete quem sou hoje.
    Por que? Como disse, porque vivemos, aprendemos e ainda bem, evoluímos. Triste é quem fica parado remoendo a dor e permitindo que a vida torne-se estagnada.
    Gostei muito da partilha e espero que esteja bem, ainda que menos ativo na blogosfera.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Vc fez uma verdadeira saga, Felis! E deu prazer ler tudo o que vc tão gentilmente fez questão de compartilhar. Abração!

    ResponderExcluir

Postar um comentário