6 de dezembro de 2016

4

A última do ano

Vai chegando o final do ano e  uma mistura de nostalgia,  remorso ,   fé,  esperança e vontade  de mudar. 
E com pouco dinheiro , triste e cansado,  fica  difícil comemorar qualquer coisa. 
Mas não  temos como escapar dos convites para comemorações , onde nos juntaremos à  alguns colegas  que  não vimos o ano quase inteiro e  que creem ter proximidade e intimidade conosco. 

Então, sobre isso, fui convidado    para uma festa de Natal ,  no dia xy de dezembro, com início ao meio dia.  
Em síntese,  que devemos , todo mundo , se reunir  no salão de festas privativo da Churrascaria. 
 Que  o bar estaria aberto com várias opções de bebidas. 
Que haveria  uma  banda tocando canções tradicionais de Natal. 
E que, nenhum presente deveria exceder R$ 50,00.

 Ah não, aí , desta maneira estão  pretendendo excluir os colegas  judeus ou que não sejam cristãos. 
E nem estão reconhecendo  o Chanukah . 
Pensando nisso, eu acho  melhor  não chamarem de Festa de Natal, e sim  chamá-la de "Festa de Final de Ano". 
Neste caso, não pode haver árvore de Natal e nem canções de Natal. 
Também acho que é  melhor  esquecer a troca de presentes. 
Para os que estão sem dinheiro,  R$ 50,00 é muito  e alguns colegas acham que R$ 50,00 é muito pouco para comprar um presente.

 Ah, também tem que lembrar  que em dezembro começa o mês sagrado do Ramadan para os Muçulmanos, que proíbe comer e beber durante horas do dia. 
Melhor seria que a Churrascaria pudesse  embalar  para que estes levem para casa.
Melhor também uma mesa para pessoas que não bebem álcool. 

Ah sim, não se pode esquecer de colocar   os colegas membros  dos Vigilantes do Peso sentados o mais longe possível do buffet de sobremesas. 
Colocar os  vegetarianos sentados  na mesa mais distante da churrasqueira. 
Que a  comida com baixa-caloria esteja disponível para os que estão de dieta.  
E para os diabéticos,  sobremesas sem açúcar.  
 Que tenham tomates hipocondríacos  e arroz japonês  pra comer de ohashi.
 Que tenham assentos mais altos para pessoas baixas. 
Assentos mais baixos para pessoas altas?

  O convite que recebi está com homogeneidade demais  para o grupo  heterogêneo que  somos!
Melhor  cancelar a Festa de Final de Ano!
 Nem vou poder  comparecer mesmo, estou naquele ciclo de encher a cabeça de planos e refletir sobre a mensagem verdadeira do Natal . 
Inclusive,  estou pretendendo fazer o que não fiz o ano inteiro, nestes últimos dias.
Estou até tomando remédio para reduzir o estresse e a ansiedade 
e antes que  comece a fazer efeito, quero desejar a todos um feliz aniversário e que o coelhinho de Natal realize os sonhos deste Carnaval que está acabando e um 2020 repleto de realizações e viva os noivos! 

Adeus ano velho. A Deus ano novo.
(ړײ
[Não sou o autor das "ideias" das piadas.] 
O direito autoral defende a expressão de uma ideia, mas não a ideia.
[Boas Festas e  Feliz Ano Novo!]
[O blog ficará sem atualizações por longos 30 dias, mas o blogueiro estará por aqui, aí, ali e acolá!]

3 de dezembro de 2016

11

#forçaChape

Perdi meus pais, perdi meu irmão recentemente e tinha a impressão de que muito cedo e com a mesma intensidade não iria passar por esses momentos - intensos- novamente. 

Porém , nesse jogo da vida não tem regras nem juiz.
De simples pode ter tudo. 
Ou nada

E não há nada que superem a tristeza, a dor e o sentimento de perda ; esses nós da vida.
E assim, irremediavelmente presos a um misto de sentimentos a embaralhar,  devemos despedir dos sonhos por algum tempo.

Mas há algo além que estes sentimentos  deixam em nós.
 Que o melhor do depois é a consciência de que nós fomos capazes de passar por cima disso, talvez com o mesmo sonho, talvez com uma outra dor, mas sempre com a aura de vencedor. 

1 de dezembro de 2016

12

Menino franzino

Eu era um menino franzino, com os cabelos escorridos e algumas espinhas no rosto.

Estava sentado à beira da janela, com aquele olhar fixo em tudo que se passava do outro lado da rua, quando deparei-me com a menina mais linda do mundo. 
Era você tomando um sorvete de morango.
Me encantou o seu jeito de mexer em seus cabelos e o sorriso muito tímido. 

É claro que aquela admiração rápida demais 
me pareceu só empolgação, mas o tempo passou e quis o destino que estudássemos na mesma escola e tivéssemos os mesmos amigos. 

Porém, nunca tivemos tempo para conversar, você sempre ficava de um lado, eu do outro e os amigos no meio. 
Assim nunca soube o que você pensava sobre mim. 

O tempo foi mais que passando e comecei a mudar. 
Fisicamente e emocionalmente.
Você também. 
E eu comecei a te ver de forma diferente. 
Tudo ficou muito forte. 
O que parecia suave e delicado, foram tomando formas no meu coração.
Quando chegava perto de você, ouvia o meu coração querendo pular para fora de mim.

E isso me fez tomar uma decisão.
Eu tinha que te contar sobre tudo isso para você.
Quem sabe assim, eu não fico desencantado de uma vez. 

É, eu nunca soube o que você sentiu.
Nunca cheguei perto do teu coração.
Nunca tive coragem de falar com você. 
Tentei te dizer no meu silêncio que era com você que eu sempre quis estar. 

Vim escrever e estou usando a minha última folha  em branco. 
Mas o que eu queria mesmo era me encontrar com você. 
Te ver mexendo em seus cabelos negros como de uma deusa e com seu sorriso lindo mostrando dentes brancos como uma neve dizer que se lembrou e sentiu saudade de mim.

Aquele menino franzino , com os cabelos escorridos e algumas espinhas no rosto.
[ Repaginada,  ficção, qualquer semelhança com fatos ou pessoas é uma mera coincidência... ou não!]

26 de novembro de 2016

15

No todo, o tudo do nada

Quando se faz o silêncio, que grita alto e sufocante, começo a ouvir a noite suspirando, a chuva gemendo com o vento. 
Há alturas até em que o desespero teima em mim,  se agarra ao sangue e corre por dentro das veias  e depois perco-o porque ele solta-se de mim,  deixa-me tão só com um torpor permanente que vai aos poucos transformando-se em tédio.

É a vida que não surpreende,   o tempo que não passa  ,  o sentimento pulsando. 
No todo, o tudo do nada.
 É a falta que tudo machuca.

Sabe moça...talvez seja isto que falte.
 De  colo, de abraço e de beijo.
E uma xícara de café quente , por favor...

...[e se não for pedir demais,  qualquer coisa que me fizesse morar em alguma parte tua...]

[ repaginada...qualquer semelhança com fatos ou pessoas é uma mera coincidência"...ou não!]

23 de novembro de 2016

16

Top Commenters 2016

[Período 01.01.2016 à 22/11/2016]

1. Vera Lúcia  

 2. Sérgio Santos               3. Paulo R F B . Bratz  

 4. Elisabete                   5 Fátima Ferreira *[Não tem blog] 

 6. Bia Hain         7.   Mirtes Stolze.         8 Amélia   

9. Bell          10. Adriana Helena

11. 

Mais um ano chegando perto do seu final e após 65 postagens - publicarei apenas mais uma ou duas depois desta e a Anterior mal acabou de sair do forno -
meu Agradecimento todo especial à cada um/a dos  Top  Commenters.
 O que me importa não é a quantidade e nem a classificação e  sim  estar muito feliz em poder homenageá-los/as de alguma forma.
 Para uma carinhosa visita,   Clicar no nome. 

Agradeço a todos - não importa a presença constante - que se dispuseram de seu tempo para vir até aqui e me fazer sentir bem,  lendo,  se interessando  e  ao menos dando uma afirmação e/ou e/ou apreciação e/ou arbítrio e/ou avaliação e/ou conceito e/ou crítica construtiva e/ou entendimento e/ou ideia e/ou palpite e/ou parecer e/ou pensamento e/ou teoria e/ou tese  sobre o conteúdo/tema/texto apresentado.

Pelo bom dia, pelo boa tarde, pelo boa noite, pelo como vai, pelo tudo bem, pelos sorrisos, pelas lágrimas, pelo carinho, pela amizade, pelos beijos e abraços.